AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
20 ASSINARAM

Ratinho Junior não assina carta de governadores que critica Bolsonaro

Apenas sete governadores não assinaram

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020 - 12:08:00

Ratinho Junior, governador do Paraná, não foi um dos 20 governadores que assinaram a carta, divulgada nessa segunda feira (17 de fevereiro), enviada a Jair Bolsonaro em defesa do Pacto Federativo. O texto aponta que o presidente “confronta” os governantes estaduais e diz que a conduta dele não contribui para a evolução da democracia no Brasil.

O texto aborda sobre as manifestações de Bolsonaro sobre as investigações da morte de Adriano de Nóbrega, na Bahia. No sábado (15), ele acusou que a Polícia Militar da Bahia, sob tutela do governador Rui Costa, não quis preservar a vida do miliciano.

Além disso, eles falam que Bolsonaro os desafiou a reduzir ‘impostos vitais para a sobrevivência dos Estados’. Apesar de não citarem diretamente, o ICMS é o tema da discussão. O tema foi abordado pelo presidente, que disse que zeraria impostos federais sobre os combustíveis caso os governadores abrissem mão do imposto sobre os produtos. Na semana passada, Ratinho Junior assinou um documento rebatendo a proposta.

“É preciso observar os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem. Equilibro, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós”, completa o texto dos governantes estaduais.

Por fim, os governadores ainda convida Bolsonaro ao Fórum Nacional de Governadores, que será realizado no dia 14 de abril.

RATINHO JUNIOR NÃO ASSINOU A CARTA

O texto foi assinado por:

João Doria (PSDB), governador de São Paulo;
Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro;
Rui Costa (PT), governador da Bahia;
Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul;
Ibaneis Rocha (MDB), governador do Distrito Federal;
Romeu Zema (Novo), governador de Minas Gerais;
Camilo Santana (PT), governador do Ceará;
Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão;
Renan Filho (MDB), governador de Alagoas;
Renato Casagrande (PSB), governador do Espírito Santo;
Belivaldo Chagas (PSD), governador do Sergipe;
Helder Barbalho (MDB), governador do Pará;
João Azevêdo (Cidadania), governador da Paraíba;
Paulo Câmara (PSB), governador do Pernambuco;
Wellington Dias (PT), governador do Piauí;
Fátima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte;
Reinaldo Azambuja (PSDB), governador do Mato Grosso do Sul;
Wilson Lima (PR), governador do Amazonas;
Waldez Góes (PDT), governador do Amapá;
Gladson Cameli (PP), governador do Acre.

Além de Ratinho Junior, também não assinaram:

- Carlos Moisés (PSL), governador de Santa Catarina;
- Marcos Rocha (PSL), de Rondônia;
- Antonio Denarium (PSL), Roraima;
- Ronaldo Caiado (DEM), de Goiás;
- Mauro Mendes (DEM), do Mato Grosso;
- Mauro Carlesse (DEM), do Tocantins.

CARTA ENVIADA A BOLSONARO

Confira a íntegra do texto ao presidente:

"Recentes declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, confrontando governadores, ora envolvendo a necessidade de reforma tributária, sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando Governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos Estados, ora se antecipando a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus Governadores, não contribuem para a evolução da democracia no Brasil.

É preciso observar os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem. Equilíbrio, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós.

Trabalhando unidos conseguiremos contribuir para melhorar a qualidade de vida dos brasileiros, pela redução da desigualdade social e pela busca por prosperidade econômica. Juntos podemos atuar pelo bem do Brasil e dos brasileiros. Nesse sentido, convidamos o Senhor Presidente da República para o próximo Fórum Nacional de Governadores, a ser realizado em 14 de abril do ano em curso."

 

COMENTÁRIOS