AgronegóciosEditais - Eleições 2020EducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
LUTA CONTRA O CORONAVÍRUS

Profissionais da Saúde são os primeiros a receber a vacinação contra a Covid-19 em Guarapuava

Conheça os primeiros 3 guarapuavanos que foram vacinados

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021 - 07:31:00

“Estou honrada! É a nossa Luz no fim do túnel, estou me sentido leve e disposta. Estou muito feliz!”, disse a enfermeira e coordenadora da Clínica da Mulher, Sueli Martins Ribeiro, de 52 anos de idade, a primeira profissional da área de saúde a receber a vacina contra a COVID-19 em Guarapuava, na noite dessa terça feira (19de janeiro). Nesta primeira fase, devem ser imunizados os profissionais que estão trabalhando intensivamente na linha de frente do combate ao novo coronavírus.

Durante o evento de lançamento da Campanha Municipal de Vacinação, o prefeito de Guarapuava, Celso Góes, homenageou os profissionais da saúde pública pertencentes ao primeiro grupo a ser protegido.

“É um momento histórico na maior crise sanitária da humanidade. Aqui estão os nossos grandes heróis que representam todos os nossos funcionários da saúde de Guarapuava, que lutam muito todos os dias no enfrentamento da pandemia. Sabemos que temos poucas doses, mais é um dia de esperança, é uma luz no fundo do túnel, é uma semente que começamos a representar hoje”, destacou Celso Góes.

OS PRIMEIROS

Sueli Ribeiro, enfermeira

A enfermeira Sueli atua há mais de trinta anos na área de Saúde. Atualmente, nas segundas, quartas e aos sábados trabalha no Pronto Atendimento e nas terças e quintas-feiras é responsável por colher exames de testagem da Covid-19. No dia-a-dia, a enfermeira readaptou a sua rotina com os trajes mais pesados do trabalho. “Nós muitas vezes passamos calor, usamos duas roupas, além da nossa capa para evitar a contaminação, restringimos de ir ao banheiro, principalmente quando estamos nos locais de coleta, por conta das luvas e do macacão e também do cuidado com o próximo que não estão tão protegidos”, relatou a enfermeira.

Luceli Menão Brunikoski, atendente na UPA

Partilhando do mesmo sentimento de esperança, a profissional de saúde Luceli Menão Brunikoski, 51 anos, foi a segunda a receber a vacina. “Eu estou muito emocionada, porque eu vi na vacina uma esperança, claro que os cuidados vão continuar, mas você saber que é uma das contempladas com aquilo que você esperou tanto, é um misto de sentimento, me sinto mais segura para trabalhar e proteger minha família”, comemorou Luceli, que atua há seis anos na UPA.

Com receio de levar o vírus para dentro de casa, Luceli precisou diminuir a convivência com a sua mãe de 80 anos e redobrar os cuidados com os filhos e o seu esposo em casa. “Foi um dos momentos mais difíceis, porque minha mãe é idosa e não sabemos quanto tempo temos para conviver juntas, às vezes ela me liga e me diz para ir tomar café que está me esperando, estou ansiosa para que tudo isso acabe logo,”, comentou e enfatizou a importância das pessoas entenderem a necessidade de respeitar o isolamento social, para não colocar em risco a vida dos profissionais de saúde.

Rodrigo Lagos, médico

Depois das duas mulheres imunizadas simultaneamente, foi a vez do médico Rodrigo Lagos, de 35 anos, receber a vacina. O médico atua na saúde de Guarapuava há cinco anos e vem exercendo um importante papel no combate a pandemia. Além de trabalhar no Samu com a logística de transferência de pacientes suspeitos ou confirmados com a COVID-19 e com o atendimento domiciliar, o médico também atua na UTI COVID-19 do Hospital São Vicente de Paulo. Para ele, receber a primeira dose é um recomeço com mais tranquilidade“Perdemos muitos companheiros, sofremos e estamos sofrendo por muitas pessoas. É um alento porque sabemos que poucas pessoas vão ter que se afastar futuramente e ajudar quem está doente. Com a vacina, a tendência é voltar tudo mais rápido e que possamos sair desse período turbulento”, declarou.

O médico também relatou que tomar a vacina é uma mistura de sentimentos:

“Eu queria que muitas pessoas que passaram por aquela UTI, que sofreram com a doença e que se foram, tivessem essa mesma oportunidade. Eu sinto alegria em saber que talvez eu possa não ter a doença ou ter com sintomas mais leves para continuar ajudando mais pessoas a não passar pelo que muitos passaram. Então, por todos que morreram e sofreram, passaram por internamentos longos de 30 a 40 dias de UTI e com ventilação mecânica, agora eu consigo sentir calma de saber que em breve muitas pessoas não vão precisar passar por tudo que eles passaram”, finalizou.

O prefeito Municipal encerrou o discurso tranquilizando os demais profissionais de saúde que fazem parte dessa primeira etapa de vacinação. “Queria dizer a todos que o Ministério da Saúde garante que, em breve, mais vacinas chegarão para atendermos a todos os contemplados nessa fase, os trabalhadores da saúde que enfrentam a COVID-19 todos os dias”, informou.

Primeiro Lote

Mais cedo, Guarapuava recebeu o primeiro lote de vacinas encaminhado pela Secretaria Estadual de Saúde, SESA. São 1.533 doses que protegerão os profissionais da saúde e os atendentes do Asilo S.O.S Airton Haenisch. A ordem de vacinação é a mesma designada pelo Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 no Paraná.

 

COMENTÁRIOS