AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Os suicidas que morrem, mas continuam vivos

por: Rogério Thomas

domingo, 12 de maio de 2019 - 14:04:00

Antes que questionem, não sou profissional na área. Mas este texto eu baseei em relatos e acompanhamentos do que vejo, ouço e do que tem ocorrido na região nos últimos meses.

O aumento no número de casos de suicídio tem sido absurdo. Não há como definir idade, situação social ou econômica. O suicídio atinge a todas as famílias, desde as mais simples até a mais “bem de vida”.

Vale destacar e elogiar os esforços realizados para evitar que isso ocorra. Muitas têm sido as ações que salvam vidas. Que evitam que as pessoas tirem as próprias vidas.

Porém, há uma forma de suicídio que não entra nas estatísticas, que não consta nos relatórios dos Bombeiros (heróis no salvamento de vidas) e da polícia. São as pessoas que tiram as próprias vidas, mas continuam vivas.

Próximo a você pode existir uma, ou várias, dessas pessoas. São homens, mulheres, idosos, jovens, adultos que simplesmente desistiram de entender o quanto a vida é deliciosa, é bela, é gostosa. Desistiram de sentir os sabores, de aproveitar os amores, de elogiar as cores e de serem felizes.

Quem morre em vida acorda dia após dia, e apenas sobrevive àquele dia. Espera, dia a dia, que algo aconteça, mas nunca acontece. Se abandona, deixa de se cuidar. O cabelo vira um ninho de coruja. A roupa, qualquer uma tá bom. O semblante é de cansaço, de exaustão. Tipo “tô nem aí”. Qualquer canto é encosto para dormir, ou simplesmente apagar e fugir (cada um tem seu motivo para fugir).

Quem morre em vida é pessimista ao extremo. Nada está bom. Falta tempero no melhor dos melhores pratos. O vinho está azedo. A cerveja amarga. O chocolate esta batumado. O café, ahhh o café, está forte ou fraco. Nunca, nunca nada está bom.

E aquilo que tanto esperam que chegue (Um milagre, talvez. Um amor, talvez. O dinheiro, talvez. A felicidade, talvez. Que o amargor, a dor ou a angústia passem, talvez) nunca chega. NUNCA CHEGA! Dia após dia, dormem, acordam passam pelo dia, não vivem.

Não existe uma fórmula, uma cura milagrosa para os suicidas que permanecem vivos. Ajuda? Esqueça pedir conselhos, pois todos sempre estão mais ocupados, têm coisas mais importantes que te ouvir. Ou, ainda, o que você tem é “frescura”. Dizem que “você tem tudo, não precisa se fazer de coitado”.

Mas sim, se você se enquadra em suicida que não morre, procure ajuda. Tente um profissional. É importante.

Mas o mais importante de tudo é que um dia, um dos dias, você acorde e diga: CHEGA. O café, ahhhhh o café, tem sabor. A comida é espetacular. O vinho é fantástico. A cerveja, mesmo a pior delas, é boa demais. O chocolate é dos deuses.

Viver é bom. Viver é sentir. É ter o vento no rosto, os sabores na boca, o amor no coração e na alma.

Depois de um tempo, entendi Fernando Pessoa: “Tudo vale a pena, se a alma não é pequena”.

Viva, ame, seja feliz.

Como eu sei de tudo isso? Eu estive lá, e sai. Você também consegue! 

Superação é o segredo da felicidade!

COMENTÁRIOS





Somos todos filhos do mesmo Deus!

Rogério Thomas

Formado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) em Comunicação Social - Bacharelado em Jornalismo. Já correu esse mundão de Deus, mas ainda não viu de tudo.