AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
COMPETIÇÃO

Jogos Abertos do Paraná começam nesta sexta (21)

Disputas seguem até o dia 30 de setembro e vão reunir mais de quatro mil pessoas, entre atletas, técnicos, árbitros e dirigentes, de 70 cidades paranaenses

quinta-feira, 20 de setembro de 2018 - 13:29:00

Uma das maiores competições do Estado tem início nesta sexta feira (21 de setembro), na cidade de Londrina: a Fase Final da Divisão A dos Jogos Abertos do Paraná (JAPS). Esta é a 61ª edição do evento que reúne as seleções municipais com a elite dos atletas do estado. A abertura vai acontecer no Ginásio de Esportes Professor Darcy Cortez, o Moringão, a partir das 19h30.

"A longevidade das competições realizadas no Paraná demonstra a capacidade do nosso estado em executar eventos com qualidade e que levam aos nossos municípios os ideais e benefícios relativos à prática esportiva. Os mais de sessenta anos dos Jogos Abertos do Paraná - JAPS nos contam histórias de superação, de dedicação, de companheirismo e projetam nomes que se destacam em nível nacional e internacional", celebrou o secretário estadual do Esporte e do Turismo, João Barbiero.

As disputas seguem até o dia 30 de setembro e vão reunir mais de quatro mil pessoas, entre atletas, técnicos, árbitros e dirigentes, de 70 cidades paranaenses. Serão ao todo 20 modalidades, entre individuais e coletivas, sendo elas: atletismo, badminton, basquete, bocha, bolão, ciclismo, futebol, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, karatê, natação, rugby, taekwondo, tênis, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.

Na final A realizada no ano passado, inúmeros atletas de nível internacional e olímpico estiveram presentes. Morgana Gmach, que defendeu a equipe brasileira da ginástica rítmica nos Jogos Olímpicos Rio 2016, foi campeã por equipes pelo time de Toledo. Outra atleta que esteve nos Abertos, tendo no ano anterior competido nos Jogos Paralímpicos, foi a nadadora Beatriz Carneiro. Em seu caso, foi uma participação ainda mais especial. Beatriz é atleta paralímpica, 5ª do mundo na Rio 2016, e nos JAPS competiu junto com os atletas regulares. Um exemplo de inclusão adotado pelos gestores dos Jogos Oficiais.

Os JAPS têm como objetivo redimensionar os valores socioculturais e esportivos dos participantes, democratizando a prática esportiva em todo o Estado. Afinal, como consta em seu regulamento, representa a expressão máxima do esporte de rendimento do Estado.
 

(Foto: Thiago Chas/SEET)

COMENTÁRIOS