AgronegóciosEditais - Eleições 2020EducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
PREOCUPANTE

Em menos de 24h, PM registra seis casos de violência doméstica em Guarapuava

As ocorrências foram registradas entre este domingo (10) e a madrugada desta segunda (11)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021 - 11:41:00

Em apenas um dia, Guarapuava registrou seis casos de violência contra a mulher. As agressões aconteceram entre este domingo (10 de janeiro) e a madrugada desta segunda feira (11). Crimes ligados à violência doméstica têm sido frequentes durante a pandemia.

De acordo com o boletim de ocorrências registrado pela polícia, o primeiro casso ocorreu por volta das 13h12 desse domingo (10), na Vila Carli, em Guarapuava. A vítima, de 27 anos, acionou a equipe policial e informou que seu esposo, de 21 anos,  lhe agrediu com socos e chutes, causando lesão na perna direita e a ameaçou de morte e em seguida fugou levando consigo seu filho de dois anos. Ela informou ainda, que seu esposo é viciado em drogas. A equipe policial efetuou patrulhamento, porém sem êxito. A vítima foi orientada quanto aos procedimentos. Após a equipe se retirar do local, foi repassado por meio do COPOM, que o autor teria retornado ao local com a criança, e que estaria novamente ameaçando a vítima. A equipe retornou ao local e efetuou a abordagem do autor em frente à residência. Duarante a abordagem foi consultado no sistema que em nome do suspeito consta que ele possui tornozeleira eletrônica, porém em busca pessoal, este não possuía o dispositivo. De acordo com a polícia, devido ao interesse em representação por parte da vítima, foi dada voz de prisão ao suspeito, o qual foi conduzido junto a vítima até a 14ª SDP para as providências cabíveis.

No final da tarde, por volta das 17h30, a equipe policial compareceu ao bairro Industrial, após solicitação via 190 por parte do Samu, que informou que no local teria uma pessoa em surto psicótico, foi deslocado até o endereço, onde verificou-se que havia uma criança acompanhada da mãe com um corte no supercílio direito, o qual foi imediatamente atendida pelo Samu. A equipe policial fez contato com a mãe da criança, de 42 anos, a qual passou a relatar que seu esposo, de 43 anos, chegou em casa sob efeito de bebida alcoólica e passou a proferir injurias, em seguida passou a bater objetos no interior da residência, e quando foi questionado passou a investir contra a mulher com socos e quando ela se esquivou, ele deu um chute em um balde que estava no chão e este atingiu o supercílio do menino de sete anos, filho do casal que encontrava-se deitado no sofá, o que resultou em um corte. A criança foi levada pelo Samu até a Urgência Municipal do Primavera, onde recebeu atendimento médico. O homem recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a 14ª SDP, para os procedimentos.

Logo em seguida por volta das 18h40 os policiais compareceram na rua Pedro Alves, Centro de Guarapuava, no o Hospital Santa Tereza, para prestar atendimento a uma situação de violência doméstica. No local em contato com a vítima, de 29 anos, ela relatou que seu ex-companheiro foi até sua residência embriagado e sem motivo começou agredir ela e a sua filha adotiva, agressões estas com um cabo de vassoura, onde veio a resultar em hematomas no crânio, braços e pernas, ainda nos braços e pernas da filha a qual é gestante. Ambas não souberam informar onde o autor poderia estar.

Mais tarde, por volta das 22h, não bairro Santa Cruz, uma equipe policial foi acionada e entrou em contato com uma mulher, de 36 anos, a qual relatou que seu convivente, de 39 anos a agrediu vindo a apertar seu pescoço na tentativa de estrangulá-la, depois de acontecer o fato, o suspeito saiu da residência tomando um rumo ignorado. A equipe orientou a vítima quanto as medidas cabíveis.

Em seguida, às 22h09 a polícia recebeu outro chamado na Rua Francisco Mendes, bairro Conradinho, onde a vítima, de 48 anos, informou que seu marido não aceita separar, e que ela descobriu que ele está se relacionando com outra pessoa, então pediu para ele retirar os seus pertences da casa, porém falou que não sairia, que posteriormente iria na casa de sua amante e depois iria voltar e se ela começar a reclamar vai lhe matar. A vítima foi orientada quanto aos procedimentos e prazos para representação. Ela relatou ainda, que não foi agredida fisicamente e não soube informar onde poderia estar o homem.

Já na madrugada desta segunda (11), por volta das 00h49, no bairro Morro alto, uma equipe policial foi até o local informado por uma pessoa, que teria um casal brigando em via pública. No local feito contato com as partes envolvidas, uma mulher, a qual relatou que estava brigando com seu marido, de 31 anos e que o mesmo puxou ela pelos cabelos e lhe agrediu com tapas no rosto. Segundo a polícia os dois estavam com visíveis sinais de embriaguez. A vítima informou aos policiais, que não tem interesse na representação e que não foi ela quem ligou para a polícia.

DENUNCIE

Os B.O podem ser feitos no site da Polícia Civil do Paraná (acesse clicando aqui). Somente as vítimas serão contatadas pela Polícia Civil, jamais os agressores.

As Delegacias da Mulher e demais Delegacias da Polícia Civil seguem funcionando normalmente, de maneira presencial. Além de poder registrar o B.O nas delegacias, caso a vítima prefira, também poderá denunciar via 180. Caso a mulher não receba o suporte necessário após a denúncia, a Procuradoria da Mulher pode ser acionada através do e-mail: procuradoriadamulher@assembleia.pr.leg.br ou pelo Whatsapp (41) 8814-2228.

(Foto:Ilustrativa)

COMENTÁRIOS