AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Como montar um currículo - Parte II

por: Luiz Gustavo

sexta-feira, 8 de março de 2019 - 15:08:00

No artigo passado comecei a detalhar a confecção de um currículo, começamos nos dados pessoais. Nesta continuação vamos para o Objetivo; bem,é opcional que o candidato coloque esta informaçãono CV, mas nesta parte, sempre encontro muito copia e cola, muitas frases prontas e que pouco destacam ou diferenciam o candidato. Eu oriento que o profissional coloque o objetivo sempre atrelado às experiências profissionais anteriores ou com os cursos e qualificações que tiver feito. Por exemplo... “Estou à procura de uma oportunidade na área administrativa, como auxiliar de escritório, no departamento de RH ou como secretária.” Quando eu leio um objetivo escrito desta maneira, vem à minha cabeça que esta pessoa tem as qualificações ou experiências nestas áreas. Caso contrário é pura perda de tempo, pois pleitear uma vaga em uma função em que não temos cursos ou experiência seria como procurar uma agulha num palheiro, principalmente quando pensamos na concorrência atual. Ou então, pode ser que você queira mudar de área, neste caso ao escrever o objetivo deixe isto claro e procure demonstrar suas qualidades que preencham os requisitos desta nova posição.

Deste tópico, passamos para Escolaridade, aqui colocamos em ordem decrescente, do mais recente para o mais antigo o que estudamos na escola. Vale lembrar, que não é preciso colocar todo o histórico escolar; por exemplo, se o candidato tem só o ensino médio completo, não precisa colocar o fundamental, pois fica subentendido que pra fazer o médio tinha que ter concluído o fundamental. Quando o candidato tiver uma graduação, basta esta informação, salvo se ele tiver feito um curso técnico ou profissionalizante no ensino médio e que esta informação seja importante para a vaga em questão.Colocar a instituição e a data de conclusão, também são informações relevantes.

De Escolaridade, seguimos para os Cursos, com o mesmo padrão, começando pelas informações mais atuais, vale lembrar que os cursostêm valor se você completa os mesmos, vejo muitos currículos com muitos cursos começados e não completados por abandono. Então, terminar os cursos, irá agregar mais valor ao CV. Também cuide com a quantidade de cursos que é colocado e a relevância para a vaga. Um exemplo é o curso de datilografia, que foi muito valorizado no passado e hoje quase não tem valor, embora ele tenha sido substituído por digitação, mas junto é importante que o candidato tenha cursos na área de informática. Tem muitos candidatos que sabem utilizar o celular e acham que é a mesma coisa, e não é! Nos cursos você deve colocar o local em que os realizou, a carga horária ou período e a data de conclusão.

Também é preciso que o candidato tenha foco com a área que for atuar ao escrever os cursos. Por exemplo: curso de culinária, curso de auxiliar de cabelereiro e oratória não combinam e pela falta de clareza, o candidato pode ficar de fora das seleções; quem atira pra todo lado, pode acabar não acertando alvo nenhum. Alinhar as ideias do objetivo com a escolaridade e os cursos, acredito que seja o melhor caminho para a diferenciação e para passar uma mensagem mais profissional para a empresa. Quanto mais claro for o currículo, maior a chance de se conseguir uma entrevista de emprego.

Bem, se chegou até aqui, vai perceber que ainda falta uma parte, a que trata das nossas Experiências Profissionais, que ficará para a terceira parte deste título, até lá.

 

COMENTÁRIOS





RH & Cia

Luiz Gustavo

Luiz Gustavo chega ao Portal GR+ e em seus textos abordará questões sobre recursos humanos e cia!
É Friburguense de nascimento, carioca pelo sotaque, e paranaense de coração! Morou nos últimos cinco anos em Quedas do Iguaçu/PR, antes de vir morar em Guarapuava em novembro de 2017. Tem 46 anos, casado, um filho. Formado em Administração de Empresas, Pós- graduado em Gestão de Pessoas (RH), Pós-graduado em Gestão de Negócios e Marketing, Pós-graduado em Coach e Liderança e cursa Pós em Psicopedagogia Institucional e Clínica. Dá palestras, ministra treinamentos e presta consultoria focada em gestão de pessoas desde 2009, tendo atendido diversas marcas locais e nacionais, ex-servidor público, atualmente trabalha como Consultor de Investimentos e de RH. Nas horas vagas, joga xadrez, aprecia leitura técnica, e adora cozinhar! Na juventude participou do grupo internacional de jovens – Ordem DeMolay, tendo sido membro fundador do Capítulo Nova Friburgo. Já adulto recebeu menção honrosa da Câmara Municipal por sua atuação na comunidade pelos trabalhos prestados à sociedade.
Escreve por hobby e paixão, acredita na disseminação do conhecimento e na educação como forma de transformação pessoal e social. Em suas linhas nos faz refletir, e como um coach, procura nos tirar da zona de conforto e nos estimula a irmos além! Se inspira nos autores consagrados e nos clássicos da literatura de negócios, e traz um pouco de sua biblioteca pessoal e pesquisa em citações e releituras das melhores ideias. Em seu primeiro artigo, escreverá sobre o CHA, um tripé da gestão de pessoas.
Seja bem-vindo!