AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Como elaborar um currículo - Parte III

por: Luiz Gustavo

quinta-feira, 11 de abril de 2019 - 13:46:00

Bem, que bom que chegamos até aqui, nos artigos anteriores escrevi um pouco sobre a parte inicial do currículo, como: o Título, Dados Pessoais, Objetivo, Escolaridade e Cursos, nesta última parte, trataremos das Experiências Profissionais, que acredito que seja uma das partes mais importantes na hora da avaliação do CV pelas empresas.

Na parte das Experiências Profissionais, para começar, vamos colocar na ordem do emprego mais recente ou atual até o mais antigo; colocando as experiências mais recentes, relevantes e que tenha ficado um período maior de tempo, caso tenha uma carteira de trabalho cheia. Uma boa organização seria começar pelo nome da Empresa, em geral pelo nome Fantasia, que é o nome que normalmente o negócio é conhecido; exemplificando, é muito mais fácil que a pessoa que for ler o CV identifique o Armazém da Maria e Filhos como a empresa, do que pela razão social, Maria da Silva e Silva Ltda. (Nomes fictícios só para ilustrar). Depois podemos colocar o cargo exercido, que normalmente é o que consta na Carteira de Trabalho; depois é importante que o candidato detalhe as Funções ou Atividades Realizadas, aqui pode ser colocado de forma resumida as principais atribuições exercidas no dia-a-dia do trabalho e também as principais contribuições ou resultados alcançados. Por fim, colocamos a data de entrada e data de saída do emprego, sem nos esquecermos de colocar os anos iniciais e finais.

Assim, parece simples, mas alguns cuidados devem ser tomados. Quando vamos pleitear uma vaga é muito importante que nossas experiências profissionais estejam próximas da vaga em questão, por isso, funções compatíveis e uma descrição bem feita das atividades realizadas nos empregos anteriores, pode nos diferenciar e chamar a atenção do RH, também devemos cuidar com as datas, a ausência delas pode demonstrar descuido ou omissão,dando a impressão de termos ficado pouco tempo nas empresas, o que pode nos atrapalhar, por isso, colocar o tempo de duração dos contratos vai nos ajudar a mostrar nosso comprometimento e capacidade de permanência no emprego.Pular de galho em galho, não é a melhor alternativa, por isso, caso mude sempre de trabalho é bom que explique os motivos na entrevista, pois se mudamos por promoções ou convites mais atrativos ou por novos desafios, pode ser que a empresa tenha um olhar mais positivo sobre o pouco tempo de permanência nas empresas.

Então, pensei que estas poderiam ser as ideias gerais, espero ter ajudado.

Quando terminar o currículo é bom que uma pessoa próxima dê uma olhada, ela poderá te dar uma opinião e até ajudar a encontrar erros, caso existam; os mais comuns são: a palavra Currículo no titulo, que não é mais necessário, nome próprio com letra minúscula (vale também para nome de rua, bairro, cidade), foto ruim ou muito poluída, números de telefones que não atendem e que só funcionam para WhatsApp, e-mails com apelidos ou nomes pejorativos, erros de ortografia, gramática, falta de pontuação, falta de conhecimento do significado das palavras quando colocamos o que achamos bonito na internet (copia e cola), formatação ruim, fontes de todos os tipos e tamanhos, distribuição dos dados de forma irregular, falta de padrões, e por aí vai. Espero que tenha percebido que um bom currículo requer atenção e cuidado! Sucesso!!!   

 

COMENTÁRIOS





RH & Cia

Luiz Gustavo

Luiz Gustavo chega ao Portal GR+ e em seus textos abordará questões sobre recursos humanos e cia!
É Friburguense de nascimento, carioca pelo sotaque, e paranaense de coração! Morou nos últimos cinco anos em Quedas do Iguaçu/PR, antes de vir morar em Guarapuava em novembro de 2017. Tem 46 anos, casado, um filho. Formado em Administração de Empresas, Pós- graduado em Gestão de Pessoas (RH), Pós-graduado em Gestão de Negócios e Marketing, Pós-graduado em Coach e Liderança e cursa Pós em Psicopedagogia Institucional e Clínica. Dá palestras, ministra treinamentos e presta consultoria focada em gestão de pessoas desde 2009, tendo atendido diversas marcas locais e nacionais, ex-servidor público, atualmente trabalha como Consultor de Investimentos e de RH. Nas horas vagas, joga xadrez, aprecia leitura técnica, e adora cozinhar! Na juventude participou do grupo internacional de jovens – Ordem DeMolay, tendo sido membro fundador do Capítulo Nova Friburgo. Já adulto recebeu menção honrosa da Câmara Municipal por sua atuação na comunidade pelos trabalhos prestados à sociedade.
Escreve por hobby e paixão, acredita na disseminação do conhecimento e na educação como forma de transformação pessoal e social. Em suas linhas nos faz refletir, e como um coach, procura nos tirar da zona de conforto e nos estimula a irmos além! Se inspira nos autores consagrados e nos clássicos da literatura de negócios, e traz um pouco de sua biblioteca pessoal e pesquisa em citações e releituras das melhores ideias. Em seu primeiro artigo, escreverá sobre o CHA, um tripé da gestão de pessoas.
Seja bem-vindo!