AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Coaching! Vamos falar um pouco mais?

por: Luiz Gustavo

sexta-feira, 20 de setembro de 2019 - 13:48:00

No artigo anterior, escrevi um pouco sobre o que é o coaching, neste, continuo com a explicação de como funciona.

O estudo da metodologia e objetivos do coaching contribuiu para a definição de diversos tipos de coaching, como: O coaching de vida, que trata de aspectos da vida pessoal, o coaching para esportes, com o foco no desempenho dos atletas, o coaching corporativo, orientado para suprir a necessidade das pessoas no mercado de trabalho e empresas, o coaching espiritual, direcionado à espiritualidade, entre outros.

O coaching é um processo, uma conversa, melhor, uma série de conversas, de perguntas PODEROSAS, que contribuem para a reflexão e motivação rumo aos objetivos estabelecidos.

Na condução do coaching, após a definição do objetivo, o coachee (cliente) é levado a analisar sua situação atual e o que precisa desenvolver de conhecimentos (saber) e habilidades (saber fazer) para atingir a meta escolhida.

Para que o processo de coaching seja eficaz é importante que haja: 1) o planejamento do processo, 2) um contrato escrito que estabeleça as metas de aprendizagem, 2.1) a parte comercial/financeira, 2.2) a forma que o serviço será prestado – dia, horário, local e papeis desempenhados de cada parte, 3) uma avaliação do coachee antes do processo, 4) o plano de ação a ser desenvolvido, 5) o acompanhamento do coach e 6) a reavaliação do coachee e a mensuração do que e quanto foi atingido, preferencialmente em relatório escrito.

Na abordagem do processo de coaching um modelo muito conhecido é o denominado GROW, onde as perguntas são feitas num crescente, levando o coachee a atingir os seus objetivos, um exemplo seria: O que você quer? Goal (metas); O que está acontecendo agora? Como você percebe a situação atual?Reality(realidade); O que você poderia fazer? O que te levaria a um melhor resultado? O que te traria maior satisfação? Options (opções) e O que você vai fazer? Quem necessitará saber do seu plano? Que apoio você necessita e de quem? Will (querer – o que, onde e quando). Assim, através de uma séria de perguntas, o coachee é levado a pensar o processo de mudança e escolher os melhores caminhos em direção às suas metas.

Para dar suporte ao trabalho do coach, existem também várias ferramentas de apoio na condução do processo, como: a roda da vida e o conhecimento e exploração das múltiplas inteligências no caso mais pessoal ou a análise estratégica com base na matriz SWOT (forças/fraquezas/oportunidades/ameaças); a avaliação 360°; o levantamento da visão, missão e valores, voltados para a empresa; entre outras. 

E para o sucesso do processo, é importante conhecer a maneira de trabalho do coach, seus valores, suas competências, seu credenciamento – para entender a filosofia/metodologia empregada, sua ética, sendo esta talvez a mais importante, já que a parceria coach/coachee pressupõe confiança mútua para que o cliente possa expor suas ideias e sentimentos com a garantia da manutenção do sigilo e da confidencialidade.

Se chegou até aqui que bom! Nesta continuação procurei detalhar sobre o processo de coaching e deixar um gostinho de “quero mais”! Espero que tenha aproveitado!

Então, até a próxima edição!

COMENTÁRIOS





RH & Cia

Luiz Gustavo

Luiz Gustavo chega ao Portal GR+ e em seus textos abordará questões sobre recursos humanos e cia!
É Friburguense de nascimento, carioca pelo sotaque, e paranaense de coração! Morou nos últimos cinco anos em Quedas do Iguaçu/PR, antes de vir morar em Guarapuava em novembro de 2017. Tem 46 anos, casado, um filho. Formado em Administração de Empresas, Pós- graduado em Gestão de Pessoas (RH), Pós-graduado em Gestão de Negócios e Marketing, Pós-graduado em Coach e Liderança e cursa Pós em Psicopedagogia Institucional e Clínica. Dá palestras, ministra treinamentos e presta consultoria focada em gestão de pessoas desde 2009, tendo atendido diversas marcas locais e nacionais, ex-servidor público, atualmente trabalha como Consultor de Investimentos e de RH. Nas horas vagas, joga xadrez, aprecia leitura técnica, e adora cozinhar! Na juventude participou do grupo internacional de jovens – Ordem DeMolay, tendo sido membro fundador do Capítulo Nova Friburgo. Já adulto recebeu menção honrosa da Câmara Municipal por sua atuação na comunidade pelos trabalhos prestados à sociedade.
Escreve por hobby e paixão, acredita na disseminação do conhecimento e na educação como forma de transformação pessoal e social. Em suas linhas nos faz refletir, e como um coach, procura nos tirar da zona de conforto e nos estimula a irmos além! Se inspira nos autores consagrados e nos clássicos da literatura de negócios, e traz um pouco de sua biblioteca pessoal e pesquisa em citações e releituras das melhores ideias. Em seu primeiro artigo, escreverá sobre o CHA, um tripé da gestão de pessoas.
Seja bem-vindo!