AgronegóciosEditais - Eleições 2020EducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
MEDIDA DE PREVENÇÃO

Adapar amplia atendimento e prestação de serviços online

Unidades Locais de Sanidade Agropecuária permanecem abertas, mas sem atendimento presencial

quarta-feira, 25 de março de 2020 - 10:30:00

Em meio às medidas preventivas do Governo do Estado para contenção do novo coronavírus, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) ampliou o atendimento por meio dos sistemas automatizados, e-mail ou telefone das Unidades Locais de Sanidade Agropecuária. As unidades permanecem abertas, mas sem atendimento presencial.

Pela internet, é possível acessar serviços como a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA). Para isso, o produtor deve encaminhar um e-mail para a Unidade Local de Sanidade Agropecuária de origem da propriedade rural com os documentos exigidos. Além disso, também é possível realizar a consulta da Permissão de Trânsito Vegetal.

Para o diretor-presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins, a continuidade da movimentação de animais de produção é imprescindível neste momento de crise. “Esses serviços já estavam disponíveis online como estratégia para agilizar e modernizar o atendimento. Agora, também estão sendo determinantes para evitar o deslocamento dos produtores até as unidades regionais e fortalecer a cadeia produtiva”, explicou.

POSTOS

A fiscalização agropecuária em 33 postos instalados em todas as regiões do Estado também funciona normalmente neste período, por se tratar de serviço essencial.

Para as demais atividades, a Adapar, por meio da Portaria nº061, de 19 de março de 2020, determina escalas de trabalho diferenciadas ou teletrabalho no caso de atividades de rotina para fiscais de Defesa Agropecuária e Assistentes de Fiscalização da Defesa Agropecuária, Engenheiros Agrônomos, Técnicos, Médicos Veterinários, garantindo a continuidade dos serviços.

Confira o funcionamento dos serviços da Adapar:

Postos de Fiscalização do Trânsito Agropecuário - PFTAs
Os Postos de Fiscalização do Trânsito Agropecuário seguem em funcionamento. No arco norte, nas divisas com os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, eles têm servido de apoio para as ações dos órgãos de Saúde e de Segurança Pública no enfrentamento da propagação da Covid-19. Para acessar os contatos da Adapar nos postos clique neste LINK 

Guia de Trânsito Animal - GTA
A Adapar disponibiliza o serviço de emissão de GTA por email. Para isso, o produtor deve encaminhar um e-mail para a Unidade Local de Sanidade Agropecuária de origem da propriedade rural ou para a conta gta@adapar.pr.gov.br. O email deverá conter as seguintes informações:

ORIGEM: Nome produtor, nome da propriedade, CPF ou CNPJ cadastrado na Adapar. Município da propriedade, telefone para contato.
DESTINO: Nome produtor, nome da propriedade, CPF ou CNPJ cadastrado na Adapar. Município da propriedade, telefone para contato.
ESPÉCIE A SER TRANSPORTADA: bovinos, búfalos, ovinos, caprinos, suínos, aves
FINALIDADE: Abate, cria/engorda, cria/reprodução
NÚMERO DE ANIMAIS A SEREM TRANSPORTADOS POR FAIXA ETÁRIA

ATENÇÃO 

As exigências para emissão da GTA continuam as mesmas. Caso exista necessidade de documentos adicionais, os Fiscais de Defesa Agropecuária ou Assistentes de Fiscalização orientam o produtor.

Doenças sob Controle Oficial

As equipes da Adapar realizarão normalmente o atendimento às notificações de suspeitas de doenças sob controle oficial:
- Mortalidade de 10% em aves
- Mortalidade em suínos (NI 05)
- Lesão vesicular
- Suspeitas de raiva
- Notificações recebidas pelo e-SISBRAVET
- Notificações realizadas por terceiros referentes às suspeitas de doenças emergenciais ou com mortalidade expressiva
- Notificações de animais positivos para brucelose, tuberculose, anemia infecciosa equina (AIE) e mormo seguirão adotando os mesmos procedimentos de interdição, com o devido acompanhamento e realização do sacrifício ou abate sanitário, conforme o caso
- As atividades que possam interferir no funcionamento de estabelecimentos, notadamente as certificações de granjas GRSC e de reprodução avícola, deverão ser realizadas com menor número de pessoas envolvidas e com a programação agendada junto às empresas.

COMENTÁRIOS