AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
INVESTIMENTOS

Acordo permitirá dobrar a capacidade de carga da Ferroeste entre Cascavel e Guarapuava

A primeira safra de milho está totalmente plantada, ocupa uma área de 335 mil hectares – 7% a menos que na safra anterior

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020 - 07:05:00

Um acordo comercial entre o Governo do Paraná e a Rumo Logística vai permitir que a Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A.) amplie a capacidade de escoamento da safra, beneficiando o setor produtivo do Estado. O anúncio foi feito nessa quinta feira (30 de janeiro) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante reunião no Palácio Iguaçu com o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, e lideranças empresariais da Região Oeste.

“Nosso governo está trabalhando para oferecer novas alternativas de transporte ferroviário, com foco no aumento da capacidade de escoamento, reestruturação da malha e no potencial logístico do corredor de exportação Oeste-Leste”, ressaltou Ratinho Junior. “Há um grande volume de novas indústrias chegando ao Paraná, ampliando a necessidade logística do Estado”, completou.

A expectativa, de acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, é que o volume de produtos transportados na malha ferroviária que liga Cascavel a Guarapuava passe de 1,1 milhão de toneladas por ano para cerca de 2 milhões/ano.

O novo documento de operação, que deve ser assinado nos próximos dias para garantir segurança jurídica às partes, vai permitir que as duas empresas compartilhem cargas que saem da Região Oeste em direção a Paranaguá. A negociação possibilita à Rumo entrar no trecho da Ferroeste, inclusive com reforço de maquinário. Para que isso aconteça, há uma regulação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Atualmente, a multinacional é responsável pela operação entre Guarapuava e o Porto de Paranaguá. Já a Ferroeste administra o trecho ferroviário entre Cascavel e Guarapuava. “Esse acordo comercial vai permitir uma considerável ampliação no escoamento da safra, já a partir de março. Garante capacidade logística e uma redução de custos para os produtores”, explicou Sandro Alex.

SAFRA 

O secretário ressaltou que o acordo chega em um bom momento para o Estado. Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, poderão ser colhidas até 23,4 milhões de toneladas de grãos em 2020, volume que, se concretizado, será 19% acima do ano passado, quando foram colhidos 19,7 milhões de toneladas.

“Esse acordo com a Rumo, que vai permitir dobrar a capacidade de escoamento da produção, é motivo de muita comemoração em toda a Região Oeste. É mais agilidade e desenvolvimento”, destacou Leonaldo Paranhos, prefeito de Cascavel.

O plantio de soja ocupa 92% da área plantada em todo Estado, com 5,4 milhões de hectares. A previsão para a safra de soja 19/20 está mantida em 19,8 milhões de toneladas, volume 23% maior que na safra passada, quando foram colhidas 16,1 milhões de toneladas.

A primeira safra de milho está totalmente plantada, ocupa uma área de 335 mil hectares – 7% a menos que na safra anterior. A estimativa de produção é de 3,1 milhões de toneladas, repetindo o volume da safra passada.

LUCRO 

A Ferroeste fechou 2019 com lucro operacional de R$ 453 mil (expurgada as depreciações) e faturamento bruto na casa dos R$ 30,5 milhões. Desde o início da operação da empresa estatal, em 1996, é a primeira vez que um ano termina no azul.

Planejamento estratégico, redução de custos e uma série de outras medidas explicam o desempenho. A Ferroeste registrou faturamentos mensais na casa de R$ 3 milhões em 2019 e alcançou R$ 30,5 milhões no acumulado dos doze meses. Esse montante é 49% superior a 2018, com R$ 20,5 milhões, e 75% maior em relação a 2017, ano de R$ 17,4 milhões de faturamento.

O volume total de cargas transportadas também foi recorde no ano passado, com 1,1 milhão de toneladas, contra 780 toneladas de 2018, crescimento de 46%. A melhor marca anterior havia sido registrada em 2016, com 826 toneladas.

“O desempenho altamente positivo da Ferroeste é uma demonstração da importância que o nosso governo dá ao modal ferroviário, dentro da estratégia global de ampliar e aprimorar a infraestrutura e logística do Paraná”, ressaltou o governador.

COMENTÁRIOS