AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Um arrogante corte de cabelo!

por: Marcos Sidnei

domingo, 6 de janeiro de 2019 - 09:36:00

Há alguns meses, quando estava em um estabelecimento para cortar o cabelo, ouvi uma intrigante conversa. Que exemplo ruim de minha parte, prestar atenção na conversa alheia, mas foi quase que instantâneo me envolver. Lembrei-me disso apenas hoje, e agora mesmo, irei lhes contar o que me deixou pensativo.

Estava na minha vez de cortar o cabelo, e já estavam no local mais três garotos, com idade aparente de dezoito ou dezenove anos. Ambos começaram a conversar com o rapaz que é o cabeleireiro do local. O tema da conversa eram as “pegadas” da balada. Cada um compartilhou sobre as meninas que cada um “ficou”. O que me chamou atenção foi que, em alguma altura da conversa, um deles citou que havia beijado uma menina apenas para conseguir carona para irem a um motel. No carro, segundo o rapaz, a menina disse que estava contente por terem a convidado, já que normalmente não recebia convites de outros rapazes. Logo em seguida, o rapaz continuou contando a história, explicando o motivo pelo qual a moça não recebia convites: “era muito feia”, segundo ele. Todos os presentes riram da situação.

Em seguida, passei a analisar os meninos que haviam comentado e tirado sarro da situação que envolvia a moça. Nenhum deles possuía as características físicas “apreciadas” pelo senso comum para que tivessem propriedade para questionar a beleza de alguém. Mas isso não vem ao caso, visto que ninguém é apto a questionar a beleza de cada pessoa, já que esta é única. Mesmo que soe clichê, é a verdade. Leva tempo, mas cedo ou tarde, cada um descobre o verdadeiro sentido disso.

Afinal de contas, quais são os critérios que estamos utilizando para analisar, julgar, classificar e avaliar as pessoas atualmente? A mídia nos impõe, a todo instante, quais são os padrões ideais, o que deve ser admirado pelas pessoas. Mas não precisa ser assim. A superficialidade está causando mal à sociedade. A personalidade está em segundo plano, já que aparência é o que está sendo levado em consideração. E quanto à inteligência, bom humor, generosidade, simpatia, e todos os outros valores que são tão importantes? Mais uma vez, parece clichê. Porém, estamos nos equivocando quanto às pessoas. Não é a toa que os relacionamentos estão no rumo da superficialidade. Você é perfeito (a). Não é você quem precisa mudar... São os outros que precisam olhar de outra forma.

COMENTÁRIOS





"Vem comigo! No caminho eu te explico..."

Marcos Sidnei

Nosso cotidiano é cheio. Há sempre muito a se fazer. Porém, em determinados momentos, é preciso desacelerar, parar e pensar. A vida é muito mais que o caos e a correria. Talvez, algo que eu lhe diga, faça sentido. Ou não. De qualquer forma, lhe convido: pare e reflita comigo. Me acompanha?