AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
MISS FIGHT

Lutadora guarapuavana conquista vitória em competição de kickboxing

Mariana Campos de 21 anos, já soma três vitórias seguidas e um cartel de cinco vitórias e apenas uma derrota

terça-feira, 31 de julho de 2018 - 15:00:00

O mundo das lutas ainda é dominado pelo público masculino. Tanto quem consome, quanto quem o pratica. Mas nos últimos anos, isso vem mudando. Prova disso é a lutadora guarapuavana Mariana Campos de 21 anos, que há quatro anos entrou para o esporte e há dois anos começou a competir e nesse final de semana conquistou mais uma vitória no evento Nação Cyborg, que aconteceu em Capo Largo, região metropolitana de Curitiba.

Mariana lutou na categoria k1 48 quilos, contra Gabriela dos Santos (Gabs), da equipe American Beach Muay Thai de Campo Largo, atleta da casa, e mesmo assim não se intimidou e trouxe essa conquista para Guarapuava.

“Me sinto muito abençoada e feliz, porque todos estavam acreditando em mim mais do que eu mesma, treinei pouco tempo para essa luta e os meus companheiros de equipe me motivaram muito”.

Para o professor e treinador de Mariana, Fenando Sagati, a atleta evoluiu muito desde a última luta dela. “ Mariana está amadurecendo como lutadora e já, já vai dar vôos maiores”.

A guarapuavana já soma três vitórias seguidas e um cartel de cinco vitórias e apenas uma derrota.

MULHERES NO OCTÓGONO

Sobre a participação feminina nos octógonos, Mariana, acredita o mundo da luta está se expandindo cada vez mais, os eventos estão dando oportunidades e abrindo portas pra as mulheres.

“Fico muito feliz em ver as mulheres assumindo um espaço onde a demanda do público masculino é maior. Mas mesmo assim ainda tem algumas mulheres que tem medo de competir ou treinar um pouco mais pesado. Acho que há ainda um receio delas, por ser um esporte de contato, mas aos poucos essa insegurança está se extinguido e espero que mais mulheres passem a competir”.

Para Sagati a participação das mulheres no esporte e em competições não é nada anormal. “Elas sempre tiveram presentes no nosso esporte, porém apenas agora que começaram a aparecer mais na mídia”.

COMENTÁRIOS