AgronegóciosCafé DiárioEducaçãoEsportesGeralPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaTrânsitoVapt-VuptVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
PREVENÇÃO

Estado recebe mais vacinas e reforça monitoramento da febre amarela

O momento é de alerta, mas a situação está sob controle. Até agora, não há relatos de casos suspeitos no Paraná

domingo, 29 de janeiro de 2017

O Governo do Paraná solicitou nesta semana o envio de doses extras da vacina contra a febre amarela, fornecida pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote, com 60 mil doses, já chegou ao Estado e será distribuído aos municípios. O objetivo é atender ao aumento na procura pela vacina ofertada na rede pública. 

O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, também determinou o reforço nas ações de monitoramento da doença no Paraná. A medida foi tomada por conta da suspeita de um surto de febre amarela em áreas rurais de alguns estados, como Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo. Desde o início do ano, 421 casos silvestres já foram notificados suspeitos no país, com 40 mortes confirmadas. 

“O momento é de alerta, mas a situação está sob controle. Até agora, não há relatos de casos suspeitos no Paraná”, tranquilizou o secretário. Segundo ele, a ideia é intensificar o trabalho de prevenção. “É de suma importância imunizar moradores e pessoas que irão viajar para áreas de risco. Desta forma, podemos nos proteger e evitar a reintrodução da febre amarela no Estado”, disse. 

RURAL - Caputo Neto ressaltou ainda que os casos registrados em Minas Gerais e demais estados estão restritos à área rural. Desde 1942, não há registros de casos urbanos no Brasil. “O cuidado deve ser redobrado para aquelas pessoas que vivem ou circulam em localidades próximas a rios e mata. A orientação é que elas se imunizem pelo menos 10 dias antes da viagem”, explicou. 

UNIDADES DE SAÚDE - A vacina está disponível nas unidades de saúde e faz parte do calendário básico das crianças em todo o Estado. A primeira dose deve ser aplicada aos nove meses de idade e a segunda, de reforço, aos 4 anos. Apesar disso, ela pode ser tomada a qualquer momento até os 60 anos. Após essa faixa etária, somente com indicação médica. 

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira, historicamente o Paraná vem mantendo boas coberturas vacinais em relação à febre amarela. “Atingimos sempre algo em torno de 70% a 80% do público-alvo do Estado. Isso faz com que uma grande parcela de paranaenses já estejam imunes a esta grave doença”, afirmou. 

ESTOQUE - A Secretaria de Estado da Saúde conta hoje com um estoque estratégico de 145 mil vacinas contra a febre amarela. O volume não leva em conta as doses já disponíveis nas unidades de saúde e estoques dos municípios. “Em nenhum momento tivemos problemas de falta de vacina. Contudo, já esperando um aumento na demanda, solicitamos ao Ministério da Saúde mais 190 mil doses para suprir a necessidade do Estado”, informou Cleide. 

COMENTÁRIOS