AgronegóciosEducaçãoEsportesGeralPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Hoje parei em frente ao espelho

por: Flávia Maria Batista

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Hoje parei em frente ao espelho e me enfrentei!
Minutos de silêncio - torturadores, julgadores. 

Algumas linhas de expressão no canto dos olhos, já não se pode mais rir sem que elas apareçam. Não. Eu não tenho mais 18 anos. Tudo bem pra mim. Mais alguns minutos de silêncio - torturadores, julgadores.
Torturadores? Julgadores?
Nããão!!!!

Hoje parei em frente ao espelho e me enfrentei!
Olhos escuros, fortes, ainda que tenham perdido um pouco do brilho por causa dos acontecimentos da vida, continuam vivos, atentos, vendo além do que muitos veem.

Sorriso largo, ainda que não apareça constantemente, ele está aqui e só se apresenta quando quer sair verdadeiramente de mim, nunca virá sem motivo, nunca virá pra fingir, ele emerge quando as palavras não conseguem expressar toda a satisfação.
Hoje parei em frente ao espelho e me vi!

Sim, hoje eu vi a mulher que eu sou. Hoje eu vi a mulher que eu me orgulho de ser, bem diante do espelho. Os 18 já se foram (que vão em paz e agradecidos) e então ganhei um grande presente, a certeza que aos 33, não poderia estar melhor!!!! Não quero ser outra pessoa.!!!!

A vida que carrego, as lições que aprendi, os meus valores, as minhas convicções, a maturidade, as marcas, visíveis ou não, as dores, as angústias, as dúvidas, as manias bobas, as alegrias bobas, os doces prazeres, os momentos que passei, tudo que aprendi durante este tempo que venho sendo EU MESMA, tudo que ainda aprenderei ao longo do caminho. EU sou a responsável!! Eu sou causa e a saída de tudo, como diz aquela canção. Tudo pertence a mim!!

E eu gosto daquela mulher que vi diante do espelho, gosto da mulher que detém o poder do “tudo pertence a mim”. 
Apesar dos erros, apesar dos acertos, apesar do sim, apesar do não, apesar dos sonhos destruídos e das vitórias conquistadas. Ela é brilhante, ela é fascinante, só não enxerga quem não quer ver, só não enxerga quem foge da verdade fechando os olhos.

Hoje eu olhei pra mulher diante do espelho, olhei pra todas as marcas na vida dela e entre lágrimas, em voz alta e com o coração na mão eu falei: 
- Gratidão, do fundo do coração, gratidão! 
E sabe o que eu ganhei em troca?
Um largo e brilhante sorriso!!! 
Como alguém que responde silenciosamente assim: 
- Eu é que te agradeço, eu me curvo diante de você e digo: Grata, do fundo do coração, gratidão!!! 
Unimos nossas mãos e seguimos, e seguiremos assim para sempre. Juntas!

 

COMENTÁRIOS





Desenvolvimento Pessoal e Autoconhecimento

Flávia Maria Batista

Graduada em Letras pela UNICENTRO e Especialista em Língua Portuguesa e Literatura pela UNIVALE. É professora e terapeuta

Mais textos de Flávia Maria Batista