AgronegóciosEducaçãoEsportesGeralPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaTrânsitoVapt-VuptVariedades
ColunistasVídeosÚltimas
MAIS DESENVOLVIMENTO

Azul inicia operação regular pelo aeroporto de Ponta Grossa

As primeiras conexões regulares serão feitas exclusivamente entre Ponta Grossa e o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A Azul Linhas Aéreas começou a operar nesta quinta-feira (13) voos regulares no aeroporto de Sant'ana, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. A iniciativa deverá beneficiar cerca de 750 mil habitantes de 19 municípios. 

O projeto marca o início dos voos comerciais do terminal, que recebeu investimentos de R$ 1,3 milhão do Governo do Paraná, viabilizados por meio da Secretaria de Infraestrutura e Logística. Antes da reforma, o terminal aéreo recebia apenas voos particulares de pequenas aeronaves. 

O Governo do Estado apoiou também a retomada de voos regulares. Em junho, o governador Beto Richa assinou com a empresa aérea um protocolo de intenções que garante redução de 2% no ICMS sobre o combustível a cada novo aeroporto atendido. Além de Ponta Grossa, a previsão é que outros municípios como Umuarama, Guarapuava e Pato Branco sejam atendidos futuramente pela empresa. 

DESENVOLVIMENTO - Para o vice-presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg), Nilton Antonio Fior, a linha comercial trará desenvolvimento econômico para a região. “É um marco que se compara à chegada primeira indústria em Ponta Grossa. A retomada vai gerar movimentação não apenas de passageiros, mas também de cargas. Esperamos que no futuro as rotas sejam ampliadas com possibilidade de voos para Santa Catarina, Cascavel e Foz do Iguaçu”, afirmou. Fior lembra que Ponta Grossa chegou a ter voos comerciais há mais de dez anos, mas o fluxo de passageiros não sustentou a operação. “Agora, com o crescimento dos investimentos e as indústrias na região, acredito que teremos um volume grande de passageiros, incluindo executivos das empresas”, diz.

PRIMEIRAS CONEXÕES - As primeiras conexões regulares serão feitas exclusivamente entre Ponta Grossa e o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). De Viracopos, os passageiros poderão pegar conexões para diversos destinos, como Rio de Janeiro (Santos Dumont), Belo Horizonte, Recife, Porto Alegre, Manaus, entre outros, além de Fort Lauderdale/Miami, nos Estados Unidos, e Lisboa, em Portugal. 

BASE NO PARANÁ - Ponta Grossa será a sexta base da Azul no Paraná – as demais cidades com operações são Curitiba, Cascavel, Foz do Iguaçu, Londrina e Maringá. A empresa conta, hoje, com 70 voos diários em território paranaense. 

O início das operações do aeroporto de Ponta Grossa também deve gerar economia para os passageiros da região, uma vez que a opção mais próxima era o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

EXPANSÃO - “Este é um momento importante e histórico para Ponta Grossa, uma vez que a população poderá acessar, de forma rápida e conveniente, todas as regiões do país e do mundo. Para a Azul, representa a expansão da liderança no Paraná e uma oportunidade de levar ainda mais pessoas para diversos lugares, com investimento na aviação regional, um dos principais pilares da operação da empresa”, disse Daniel Tkacz, diretor de Planejamento de Malha da Azul por meio de comunicado. 

PRIMEIRO VOO - A aeronave ATR 72 600, de fabricação franco-italiana e com capacidade para 70 passageiros deixou Campinas às 13h e pousou às 14h20 na cidade paranaense. Já a primeira decolagem de Ponta Grossa foi às 14h45 com aterrissagem marcada para às 16h. Esses horários funcionarão de segunda a sexta-feira. Aos domingos, os voos saem de Campinas às 9h com previsão de chegada às 10h20 em Ponta Grossa. No trajeto inverso, a aeronave sai às 10h45 da cidade paranaense, com previsão de pousar às 12h em Campinas. De acordo com a Azul, as tarifas estão disponíveis a partir de R$ 99,90.

INVESTIMENTOS - Além dos investimentos do Governo Estadual, o aeroporto recebeu recursos da Prefeitura de Ponta Grossa e do governo federal para atender todas as especificações exigidas pela agência reguladora. Somados, os recursos somam aproximadamente R$ 14 milhões. A reforma durou cerca de 3 anos.

COMENTÁRIOS