AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
EM GUARAPUAVA

Ações de combate à exploração sexual contra crianças e adolescentes iniciam nesta segunda (14)

Atividades, como panfletagem, exibição de vídeos rodas de conversa, oficinas entre outras, serão desenvolvidas ao longo da semana

segunda-feira, 14 de maio de 2018 - 17:07:00

A partir desta segunda feira (14 de maio), a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, coordenada pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, inicia em Guarapuava uma programação de conscientização ao combate à exploração sexual contra crianças e adolescentes. As atividades, como panfletagem, exibição de vídeos rodas de conversa, oficinas entre outras, serão desenvolvidas ao longo da semana nas unidades do CRAS, escolas, colégios e entidades socioassistenciais da cidade. "É importante discutirmos este assunto com toda a sociedade, por isso estamos debatendo esse tema com os guarapuavanos. Com essas ações, nós vamos despertar discussões sobre a temática, além de alertar à população sobre o crescimento do abuso e a exploração sexual e as formas de combatê-la", destaca o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Ari Bona.

Na sexta feira (18), Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, serão realizadas atividades em alusão à data no auditório,da Faculdade Guairacá, a partir das 9h. Ao longo do dia, mais de 100 profissionais que trabalham diretamente com crianças e adolescentes participarão deuma mesa redonda sobre a Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes – Visão Multiprofissional – Avanços e Desafios. À tarde, serão duas palestras. A primeira sobre O Direito Sexual das Crianças e Adolescentes, com a médica hebiatra, doutora Vânia de Souza Ferlim, e a segunda sobre oFluxo de Atendimento a Adolescentes Gestantes, com a enfermeira Tábata Naiara Soares. 

Mais informações pelo telefone 3623-7995 - Jeane ou Luciele, coordenadoras da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente.

COMENTÁRIOS