AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
WHATSAPP

Pesquisa aponta o WhatsApp como aplicativo preferido dos empresários paranaenses‏

Fecomércio PR mostra como o empresário paranaense usa o celular

segunda-feira, 11 de abril de 2016 - 15:51:00

Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) mostra que 81,7% dos empresários paranaenses possuem smartphones. Entre os entrevistados, 40% dizem trocar de aparelho a cada 18 ou 24 meses; outros 31% não se importam com a atualização; 21% compram um novo smartphone quando o antigo atinge mais de três anos de uso e apenas 8% trocam o aparelho todo ano. 
Ao contrário do que possa parecer, os mais jovens (abaixo de 25 anos) são os que menos se importam com a renovação do aparelho (36,4%). Nesta faixa etária, apenas 9,1% trocam o celular antes de um ano de uso, enquanto 27,3% esperam até dois anos para uma nova aquisição, a mesma porcentagem dos que deixam passar mais de três anos.

Os empresários com idades entre 41 e 60 anos são os mais preocupados com a evolução tecnológica: 7,5% dizem trocar o smartphone todo ano; 43,4% esperam no máximo dois anos para fazer um upgrade; 26,4% só compram um novo aparelho quando o antigo completa três anos e 22,6% não têm esse tipo de preocupação.

Na faixa etária intermediária, de 26 a 40 anos, 6,8% dos empreendedores substituem o celular com menos de um ano; 42,4% entre 1,5 e 2 anos; 17,8% com mais três anos e 33,1% não se importam com isso.

A pesquisa da Fecomércio PR também aponta que o WhatsApp é o aplicativo preferido dos empresários, seguido pelo Facebook, e-mail, envio de SMS, acesso à internet, aplicativos bancários, Instagram, aplicativos de notícias e, por último, jogos e LinkeIn. Nesta questão, os entrevistados poderiam citar mais de uma resposta.

A sondagem foi realizada com 270 empresários entre os dias 15 a 24 de fevereiro, na cidade de Curitiba. Foram entrevistados empresários dos ramos de serviços e comércio, dirigentes de empresas de micro, médio e grande porte.

COMENTÁRIOS