AgronegóciosEducaçãoEsportesGeralPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

Violência

por: Emanoel Severo

terça-feira, 7 de junho de 2016

Nos últimos tempos, nos deparamos com cenas de violência que chocam a comunidade e também angustiam os corações das famílias, amigos e mesmo de pessoas que não possuem nenhum vínculo com as vítimas. Pois ao se colocar no lugar de uma mãe que perdeu seu filho, imaginamos sua dor, aflição e a mente conturbada de alguém que nunca mais se livrará desse trauma.

Eu queria que jovens tivessem a oportunidade de passar algumas horas dentro de um hospital, observando e “sentindo na pele” o sofrimento dos pacientes que adentram as salas de emergência de um pronto socorro!
Traumas físicos, traumas psicológicos, traumas sociais.

Muitos deles, poderiam ser evitados, se não houvesse tanta imprudência no trânsito, tanto álcool com direção, tantas drogas circulando por aí, tanta impaciência, tantas brigas por causas banais que terminam em tragédias.
As pessoas poderiam optar pelo diálogo ao invés de resolver as pendências com pancadaria...

Tudo seria muito mais fácil se muitas coisas fossem levadas “na esportiva”.
E está cada vez pior, até porque as brigas deixam de ser no modelo antigo, com socos e pontapés, e passa-se a resolver os problemas com armas brancas e de fogo... 
Mulheres que chegam aos hospitais vítimas de violência. 
Crianças que sofrem as consequências de uma sociedade covarde...
Jovens que internam nas UTI’s por agressão, espancamento... 
Poder? Dinheiro? Mulheres? Sexo? Drogas? 
O que justifica tanta tragédia?

Concordo que alguns comportamentos aumentam a suscetibilidade...
Mas em que mundo vivemos que uma simples “fechada” no trânsito faz um pai de família arrancar uma arma debaixo do banco do carro e atirar contra um desconhecido qualquer, que estava indo ou voltando do trabalho?
Em que mundo vivemos que não permite que você vá a uma lanchonete com seus amigos, pois a qualquer momento alguém armado pode aparecer e atirar no garçom?

Em que mundo vivemos que ao “pegar a estrada” para fazer um passeio com seus familiares você pode não voltar pra casa porque “Fulano” dirigia alcoolizado e ao fazer uma ultrapassagem perigosa em alta velocidade atinge seu carro de frente?

Vemos isso nos hospitais todos os dias, de hora em hora pacientes morrem. Os noticiários só mostram tragédias. A internet mostra violência em tempo real.
Sabemos que parte dos catastróficos índices de violência é fruto da insuficiência das políticas atuais. 

Mas podemos fazer nossa parte: 
Quem sabe mais paciência, mais tolerância, mais empatia...
Menos álcool, não às drogas, mais prudência no trânsito...
Menos racismo, menos discriminação, menos preconceito...
Mais amor ao próximo!!!

COMENTÁRIOS





O olhar daquele que cuida

Emanoel Severo

Meu nome é Emanoel Severo, tenho 26 anos, sou enfermeiro e trabalho com controle de infecção em serviços de saúde. Especializei-me em Estomaterapia, trabalho no Hospital São Vicente e sou Professor em cursos técnicos, graduação e pós-graduação em Enfermagem - Faculdade Guairacá e Futura Educação Profissional.