AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

A Carência que Ninguém Vê

por: Marcos Sidnei

sexta-feira, 23 de novembro de 2018 - 12:15:00

Passando pela Rua XV de Novembro, durante a tarde, pude observar um senhor pedindo auxílio financeiro, sentado em frente a uma loja, na calçada. A seu lado, haviam alguns papeis, pareciam ser exames médicos.

Caminhando rapidamente, o olhei, passei as mãos nos bolsos e não havia nada que eu pudesse lhe dar (sabemos que nem sempre dar esmola é uma boa alternativa, mas é algo que faço quase que inconscientemente). Apenas lhe acenei negativamente e prossegui caminhando.

Fiz meus afazeres e no retorno, pelo mesmo caminho que havia feito, tive a chance de observar este senhor de certa distância. O mesmo pedia ajuda a todos que passavam. Levantava a sua pequena cesta para que depositassem algum auxílio. De fato, em nossa rotina sempre apressada, é difícil ter calma e paciência para avaliar o quão complexas são as situações de nosso cotidiano. Eu, por exemplo, somente agora, ao redigir este pequeno texto, estou refletindo sobre quais seriam os motivos pelos quais este homem estava na rua, se teria algo para se alimentar mais tarde e até mesmo, um local para ir. Afinal, conhecemos muito pouco sobre as pessoas.

Enfim, notei que muitas pessoas passavam pela rua e não o olhavam. O ignoravam. Nem ao menos para dizer “não”. Apressavam os passos. Algumas acompanhadas de crianças, inclusive. Reconheço que a vivemos em uma sociedade caótica e muitos são os perigos, mas existem causas que precisam ser observadas.

Falamos às nossas crianças para ter empatia, fazer o bem e auxiliar o próximo, mas muitas vezes, desviamos o caminho quando alguém de fato, precisa de nossa ajuda. E não me refiro apenas ao dinheiro, à esmola. Existe algo que infelizmente, está desaparecendo de nosso dia a dia: a capacidade de dar atenção. Um olhar, um simples aceno com a cabeça.

Questionei-me também: Quem é mais carente? Quem precisa de mais?

A carência está presente em nosso cotidiano de diversas formas. Infelizmente, continuamos realizando nossas atividades, falando sobre o amor ao próximo e agindo de forma contrária ao nosso discurso.

Carentes? Somos todos nós!

COMENTÁRIOS





"Vem comigo! No caminho eu te explico..."

Marcos Sidnei

Nosso cotidiano é cheio. Há sempre muito a se fazer. Porém, em determinados momentos, é preciso desacelerar, parar e pensar. A vida é muito mais que o caos e a correria. Talvez, algo que eu lhe diga, faça sentido. Ou não. De qualquer forma, lhe convido: pare e reflita comigo. Me acompanha?